[ editar artigo]

Mulheres em Ação

Mulheres em Ação

Nesse domingo, 28 de julho, com muito louvor e adoração e junto com as mulheres do Círculo de Oração celebramos ao Deus vivo. Dado a abertura em nome de Jesus inicialmente cantamos o hino 434. O coral Getsêmani louvou ao Senhor com três hinos, glorificamos e exaltamos a majestade santa. Acompanhamos a leitura bíblica introdutória em Salmos 1.1-6, e em seguida oramos. Louvamos e na sequência ouvimos por palavra de oferta Mt 10.41,42, e um testemunho contado pela Dca. Loidi sobre a fidelidade de Deus. As crianças foram para o culto infantil depois de orarmos por eles e as professoras e em seguida a Dca. Ivonira ministrou a palavra de Deus, com o tema: “O destino dos justos e o destino dos ímpios”. O primeiro Salmo revela o contraste de dois tipos de pessoas. O caminho da benção é do juízo se destaca ali. Por isso é determinante fazermos as escolhas acertadas. Bem aventurado e aquele que medita na lei do Senhor. Por outro lado a ira do Senhor é derramada sobre aqueles que desprezam a sua palavra. A escolha é responsabilidade de andarmos no caminho do Senhor ou não é plenamente nossa. O perfil do justo aprovado é o perfil do ímpio reprovado diante de Deus. O prazer do justo não está nas coisas desta vida, e sim na lei eterna de Deus. Prazer na lei do Senhor é se deleitar nele. Feliz é o homem que confia em Deus. O justo não anda no caminho dos ímpios e nem se detém nos caminhos dos pecadores e não se assenta na roda dos escarnecedores. Quem se deleita na lei do Senhor não recai nas misérias dos ímpios. Precisamos andar e nos deter, nos assentarmos diante de Deus e de sua palavra. O ímpio com as suas atitudes demonstra rechaçar a palavra de Deus e o seu amor. Mas a palavra do Senhor nos dá a oportunidade de escolhermos o que é certo. O ímpio escolhe não querer a palavra, não querer Deus, não querer sua casa, mas também recairá sobre ele severo juízo. O ímpio não medita nas coisas eternas, já os justos são como árvores plantadas junto a corrente de águas que dá frutos. O justo como uma árvore na casa de Deus é bem plantado, já o ímpio é como moinho que o vento espalha. O Senhor conhece o caminho dos justos mas os caminhos do ímpio perecerá. Precisamos como árvores junto aos ribeiros dar fruto na obra de Deus. O justo frutifica na casa de Deus. Deus quer de nós mais compromisso nesses últimos dias como igreja. Aquele que é limpo, limpe-se ainda, aquele que é sujo, suje-se ainda. Escolhemos pois, a nos limparmos diante do eterno Deus. Nosso pastor orou e deu os avisos e as considerações finais e encerrou o grandioso culto do Círculo de Oração. 
MINISTÉRIO de COMUNICAÇÃO da AD VACARIA

Ler matéria completa
Indicados para você