[ editar artigo]

Culto da Mocidade

Culto da Mocidade

              Na noite do dia 18 de agosto, no dia do Senhor, a família da fé celebrou a Deus junto com a mocidade na casa do Senhor o nosso Deus. O grande culto foi aberto em nome de Jesus. Cantamos o hino 108 da harpa cristã. Em seguida acompanhamos uma leitura bíblica em Ap 18.1-4 e oramos. O coral da mocidade louvou ao trino Deus com dois hinos. Os amigos visitantes foram saudados com uma calorosa saudação. Ainda outra leitura da palavra foi feita em Jo 3.16, após demonstrando o nosso amor ofertamos com alegria. Oramos a Deus pelo culto infantil e pelo O Pb. Rafael que ministrou a palavra do Senhor. Fez leitura em Dn 1.1-9 e falou sobre "Guarda o que tens para que Babilônia não te tome". Iniciou usando a expressão do apóstolo Paulo que somos vasos de barro e que dentro de nós há um tesouro maravilhoso, e o inimigo quer atacar a igreja para roubar esse grandioso valor dentro de nós. João escreveu no livro de Apocalipse dizendo que a grande babilônia caiu, e a referência é ao sistema. Babilônia sempre se levanta contra tudo o que Deus propõe. Ela está inserida em todas as áreas da vida humana. Algumas foram citadas, como no sistema educativo, a ideologia de gênero. A Bíblia nos adverte que temos que guardar o tesouro dado por Deus a nós. Não podemos amar e nos apegarmos o presente século, pois o mesmo está no contexto babilônico. Com Daniel o contexto babilônico está interessado em tirar a nossa identidade. Quando Daniel chega naquela nação ouve severos ataques contra ele que possuía valores espirituais estabelecidos. A identidade de uma pessoa está relacionada com o que ela lê, pensa, olha, sente, olhando para o mundo a identidade é materialista. Mas essa é contrária a de Deus em nós. A Babilônia oferece comida boa, estudos e cursos, e recursos que prendem as pessoas lá. Nada é neutro na babilônia, tudo tem uma ideologia por trás. Para nós filhos de Deus temos que manter a identidade cristã, temos que dizer não a Babilônia como Daniel. Como Daniel temos que saber que não somos moradores da Babilônia, nossa pátria é Jerusalém celestial, somos forasteiros e peregrinos na terra. Ter uma identidade não é opcional, ou somos luz ou trevas. Que possamos representar bem o reino de Deus na terra com uma identidade do céu em nós enquanto vivemos na terra. Que nossa identidade seja verdadeira e não falsificada. Que a presença de Deus esteja em nós neste mundo como esteve com Daniel na Babilônia. Que não venhamos nos embriagar com as coisas da Babilônia. Os avisos foram dados, recebemos a bênção final e o culto foi encerrado.

MINISTÉRIO de COMUNICAÇÃO da AD VACARIA

Ler matéria completa
Indicados para você